domingo, 20 de março de 2016

Por um mundo com mais "THOM"


"Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três, mas o maior destes é o amor."


Vivemos tempos difíceis no Brasil: Crise política, crise na saúde pública, na economia, na segurança, na educação, no direito, etc..etc..etc..
Ate o salve salve futebol brasileiro já não é mais o mesmo: não se pode assistir um jogo com a família, a violência nos estádios é cada vez mais frequente, não da pra arriscar.
Vivemos momentos de confronto! Confronto entre o que somos e o que queremos de fato ser.
Eu ando pelas ruas e vejo outdors estampando crianças com microcefalia, devido ao zyka virus. Um vírus que pode ser fatal, mas estamos mais preocupados em não ser deficientes do que morrer, aparentemente!
É mais preocupante saber com quem a pessoa faz sexo, se veste-se conforme "determina" sua genitália,se ela mantem sua genitália como nasceu, se não trocou de nome, se deixou de usar o banheiro masculino para o feminino ou vice e versa, se agora é católica, testemunha de Jeová, se de umbanda, se é prostituta ou santa.
Estamos mais preocupados em seguir o padrão, produção em massa, em ser copias fidedignas um dos outros, não pode mudar, e se mudar...ahh...você esta fora, indígno de qualquer respeito.
Penso: meu Deus...o que somos? o que queremos? Onde vamos chegar com isso?

Quando saio com meu filho de casa, sinto medo, confesso. 
Como viver com tantas diferenças num mundo que exige tanta "igualdade"? Um pseudo-perfeccionismo?

Não é vergonha... É medo! 


Anjo com os primos Marquinho e Leka

Medo dos olhares assustados, medo da curiosidade das pessoas, medo das perguntas descabidas de sempre, medo dos jugos, da incompreensão e da exclusão.
Amo meu Anjo e o vejo perfeito! Pra mim, não importa se ele usa respirador, se baba, se não anda, se não fala, se não pode brincar com as outras crianças, se não é igual a todo mundo. Pra mim ele é único, especial, maravilhoso, como todo filho é para uma mãe!
Mas confesso que tenho medo de como os outros o vêem!

Não preciso ir longe para pensar isso. Sempre tive receio dentro da minha própria família. 
Não porque alguém ja fez algo que me fez pensar assim, mas quando eu via as outras crianças eu me perguntava: se EU, se fosse eu a mãe de uma criança saudável, se eu deixaria chegar perto de uma criança como o Angelo, que esta sempre hospitalizado, por estar sempre colonizado por bactérias fortes, por ter secreções saindo de seu corpo em tempo integral, pelo risco de infecção? 
E então eu fico maravilhada, por perceber, que todos tratam ele como igual. Respeitando seus limites é claro, mas não porque se limitam, mas porque o amam, e não se preocupam com o risco que ele pode oferecer, mas sim em não oferecer risco a ele.
E fico encantada quando as outras crianças da família se aproximam do Anjo, sem restrições, sem receio, mas com o mais puro amor.

Thomas beijando o Anjo

Recentemente, em uma visita do meu afilhado (e sobrinho-neto), THOMAS NELSON, de apenas 1 ano e 3 meses, vi a coisa mais fantástica que já tive o prazer de ver.
Certo dia reunidos na sala de casa, coloquei o anjo num colchão da sala, para que pudesse apreciar conosco o momento de conversa e descontração em família. 


Anjo com seu primo Gio
Estávamos eu e minhas duas sobrinhas (uma delas, a mãe do THOMAS e madrinha do Anjo)  e a enfermeira que cuida do Anjo. 
Conversávamos, com a tv ligada, quando servi café e pão. Estávamos comendo quando o THOM engatinhou na minha direção e resmungou (como quem pede) por um pedaço de pão. Dei o pão pra ele, imaginando é claro que estava com fome. No entanto, THOM engatinhou novamente ate o colchão onde o Anjo estava, e sentado ao seu lado, colocou o pão na boca do Anjo. A mãe dele ao perceber correu tirar (visto que o Angelo se alimenta por gastro e não por via oral), sendo assim evitou um acidente de o Anjo se engasgar ou algo do tipo. Mas o mais maravilhoso disso tudo, foi o THOM, um bebê de pouco mais de um ano, perceber que o Anjo era a única pessoa da sala que não estava comendo e por esta razão, querer alimentá-lo.
Me emociono ao lembrar disso! Sinto um nozinho na garganta, mas não é de tristeza é de felicidade!
Isso me faz pensar que o mundo precisa de mais "Thons". Um THOM que perceba que se alguém esta de fora, precisa ser incluído; um Thom que não se importe com as diferenças, que apenas acolha sem exitar; um THOM que perceba que o próximo precisa de ajuda, precisa de Amor! Um THOM que mude o tom do nosso mundo, das nossas vidas!

THOM











4 comentários:

luzia pinho disse...

Meu adorado guerreiro te conheder fpi tudo que eu queria lindooo

luzia pinho disse...

Meu adorado guerreiro te conheder fpi tudo que eu queria lindooo

Eliane lacal disse...

Thomthom é lindo.... Por dentro e por fora.
Com sua inocência pura conseguiu ver o que nós, adultos e autopromovidos a inteligentes nao conseguimoa ver....
Esse beijo que o Thom dá no Anjo eh a demonstraçao do puro amor!
Por isso são ambos tão especiais.

Sonia Takaki disse...

Maravilhoso!!
Viajei na sua narrativa...
O Anjo lindo cercado de anjinhos eficientes e amorosos rs
Esse Thom também vai looonge!
Beijos